segunda-feira, 12 de julho de 2010

APENAS... MULHER

APENAS... MULHER
(Edolesia Andreazza)


Não me descreva
Como mito
Porque se concordar
Eu minto

Sei que às vezes
Penso que sei tudo
Mas quase sempre
Nunca sei (com certeza) de nada

Porque analisando as (zilhões) de variantes
As equações se complicam
E a vida
Nunca explica
A função dos coadjuvantes

Às vezes sou!
Mas na maioria das vezes
Apenas queria ser

Afrodite
(Deusa)
Vivendo em amor

Medusa
(confusa)
Instalando o terror

Lua cíclica
Do reino solar
Que seguindo o coração
Se perde em si
(Hormônios em ebulição)

Meus muitos planetas
(Pontos de gravitação)
Ora a me rodear
Ora a me atrair
Ora a me repulsar

Nervos
Pelos
Unhas
Mamilos
Em pé...
(Sensibilidade em ação)

Sou tudo
Sou nada
Sou todas
Sou ninguém

Hoje
Como na maioria dos dias
Me sinto apenas...
MULHER

E isso
Por si só
Já diz tudo

Um comentário:

Joaninha AtreVida disse...

MARAvilhosa!
c tá d +
bjsssss